IMF
ATM, Notícias Por , em 26 de setembro de 2022

Dor na ATM: Causas, sintomas e tratamentos

A dor na ATM, isto é, na articulação temporomandibular, advém do funcionamento anormal da articulação, ligamentos, músculos da mastigação, ossos maxilar-mandíbula, dentes e estruturas de suporte dentário.

Hábitos, como por exemplo, o apertamento dentário, bruxismo, morder objetos estranhos ou roer unhas, são causas muito comuns para o desenvolvimento da dor na ATM, podendo originar uma disfunção temporomandibular, ou DTM.

Estima-se que 40 a 75% da população apresente, no mínimo, pelo menos um sinal de DTM ao longo da vida, como por exemplo, ruídos na região, e um sintoma, como dor na face ou na articulação temporomandibular, segundo pesquisas da Universidade de Passo Fundo (UPF), do Rio Grande do Sul, e da Universidade Estadual de Santa Catarina (UDESC).

Quando a disfunção está presente, os principais sintomas são: dor de cabeça, dor de ouvidos e/ ou zumbidos.

Em suma, o tratamento é feito por meio de cuidados individuais, com o uso de dispositivos ou cirurgia.

Quer entender mais sobre o assunto e descobrir quando é o momento de procurar ajuda de um dentista especialista? Então acompanhe o artigo a seguir!

O que é ATM?

Localizada na base do crânio, a ATM é a articulação que liga os ossos do crânio aos da mandíbula. Ela se caracteriza como uma das mais complexas do corpo humano e é a única em que os lados direito e esquerdo são ativados simultaneamente, pois são interligados.

Basicamente, ela funciona como um controle deslizante para abrir e fechar a boca, podendo se movimentar para cima, trás, frente e de ambos os lados. Ou seja, é uma articulação bastante flexível e é graças a ela que conseguimos falar, comer e bocejar, por exemplo.

Devido à sua localização, a ATM também sofre influência do alinhamento dos dentes, do posicionamento da maxila (parte superior da mandíbula) e do maxilar (parte inferior da mandíbula).

Quais as principais causas da dor na ATM?

A disfunção da ATM pode apresentar diversas causas, desde fatores emocionais — estresse, tensão e ansiedade — a questões físicas, como uma pancada na região ou problemas na arcada dentária. 

Confira, a seguir, algumas das principais causas:

  • mastigação incorreta;
  • dentes muito tortos, que forçam os músculos da face;
  • hábitos como mascar chicletes, roer unhas ou morder os lábios;
  • artrite na articulação temporomandibular;
  • danos (naturais ou acidentais) na articulação;
  • mania de ranger os dentes;
  • problemas estruturais e congênitos (que vêm desde o nascimento);
  • estresse;
  • excesso de tensão muscular na região;
  • questões hormonais.

Além dessas causas, a má-oclusão dentária representa um papel importante como fator de predisposição, pois altera o sistema mastigatório, aumentando os riscos de desenvolver disfunção de ATM. 

Os hábitos parafuncionais e a má-oclusão dentária podem induzir a micro-traumas na ATM e contribuir no aparecimento de lesões degenerativas no côndilo e no disco articular.

Principais sinais e sintomas da dor na ATM

Além da dor de cabeça, a sensibilidade também pode ocorrer na face, região cervical, nas orelhas/ouvidos e nos ombros.

Outros sintomas incluem:

  • dificuldade para bocejar ou mastigar alimentos duros;
  • dor na orelha/ouvido;
  • relato de alteração recente da mordida;
  • sensações de ouvido tampado;
  • sons articulares (estalos ou crepitações na ATM);
  • travamentos episódicos de mandíbula;
  • dor e/ou dificuldades para movimentar a mandíbula, limitação de abertura ou de fechamento da boca;
  • aumento volumétrico da face uni ou bilateral que não seja de origem odontogênica.

O paciente pode sentir ainda tonturas e zumbido nas orelhas.

Quanto tempo dura a crise de ATM?

Depende, a duração de uma crise pode variar de um indivíduo para o outro. Pessoas com disfunções temporomandibulares podem sentir dor forte ou desconforto, que pode ser temporário ou perdurar por dias, semanas e até anos. 

A crise de ATM é quando as dores se intensificam a ponto de causar dificuldades para abrir a boca e fazer atividades simples, como comer e falar, afetando a qualidade de vida do paciente.

Qual o nome do profissional que cuida da mandíbula?

como aliviar dor na atm

Se você está com dor na ATM e não sabe qual profissional procurar, o mais indicado é que vá primeiramente a um cirurgião bucomaxilofacial, um especialista na área da odontologia.

Mas como dissemos anteriormente, a ATM é uma articulação complexa e ela pode exigir um tratamento multidisciplinar.

Portanto, caso haja indicação do cirurgião e dependendo da complexidade de cada caso, também pode haver a necessidade de contar com médicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos.

Esses profissionais conseguem trabalhar o problema em diferentes perspectivas e oferecer o que é necessário para ajudar cada paciente.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico de DTM está baseado em vários sintomas, a princípio, testando a amplitude dos movimentos mandibulares; mas também auscultando os ruídos articulares, examinando o engrenamento dos dentes, apalpando as articulações como também os músculos da face e cabeça.

A princípio, o cirurgião oral conversa com o paciente em busca de informações que permitam saber o que causa a dor. Outros sintomas, além de traumas, hábitos orais, tratamentos médicos e dentais prévios também devem ser investigados.

Os instrumentos de diagnóstico mais comum são:

  • Radiografias Convencionais (radiografias planas, inclusive panorâmica): são rápidas e relativamente baratas. No entanto, elas mostram somente a estrutura óssea da articulação, sendo geralmente úteis para avaliar mudanças morfológicas e processos degenerativos da doença.
  • Tomografia Computadorizada: mostra os mínimos detalhes do osso, com uma dose mínima de radiação. Inegavelmente os custos são bastante altos e oferecem uma visão limitada do disco articular e dos tecidos moles.
  • Ressonância Magnética: produz imagens detalhadas e precisas do tecido mole e é considerado o melhor método para estudar a ATM. Surpreendentemente nenhuma radiação é usada.

Dicas para evitar a dor na ATM

Além do tratamento, recomendado pela equipe de saúde, também existem algumas dicas que podem ajudar a evitar a dor na ATM ou mesmo complementar o tratamento para quem já está com dor. Confira:

  • Exercício físico

Fazer uma atividade aeróbica por 20-30 minutos, de maneira regular pode ajudar na melhora da condição, pois ela ajuda no relaxamento dos músculos e a liberar as tensões acumuladas. 

  • Gerenciamento de estresse

Buscar uma atividade agradável ou verbalizar uma frustração a fim de reduzir o estresse e melhorar a saúde mental também podem ser boas atividades complementares ao tratamento.

  • Técnicas de relaxamento

Respiração profunda, meditação, yoga, exercícios aeróbicos e outras atividades podem ajudar na redução dos sintomas de estresse e no controle da tensão muscular na mandíbula.

  • Aplicação de compressas 

O frio reduz a circulação sanguínea na região e diminui a dor e a sensação de inchaço. 

Em alguns casos, a compressa morna também pode ajudar. Verifique com a equipe de tratamento, qual é a melhor para o seu caso.

  • Dieta macia

As comidas brandas podem ajudar temporariamente, ao permitir que a mandíbula e os músculos circunvizinhos descansem.

Evite especialmente comidas duras, crocantes ou trituráveis, que possam traumatizar a articulação ou que lhe exijam abrir a boca amplamente, como uma maçã ou uma espiga de milho. Mastigar chicletes também não é recomendado;

Qual o tratamento para dor na ATM?

o que causa dor na atm

A escolha do tratamento é feita com base na causa e na gravidade da situação, por isso, cabe ao profissional responsável escolher a opção ideal para cada paciente.

Medicação

Para aliviar as crises de dor, o controle medicamentoso é feito através de remédios como relaxantes musculares, analgésicos comuns ou ainda antiinflamatórios indicados pelo dentista ou médico.

Caso o paciente esteja tendo espasmos musculares e bruxismo grave, a equipe de tratamento pode indicar também ansiolíticos.

Já em caso de dor crônica, podem ser associados medicamentos anticonvulsivantes e antidepressivos.

Existe ainda a possibilidade de a dor na ATM estar relacionada a doenças autoimunes. Se este for o caso, também podem ser indicados corticóides orais ou em forma de injeção.

Placas oclusais miorrelaxantes 

Os efeitos prejudiciais de travamento ou rangido podem ser minimizados por meio das placas oclusais miorrelaxantes, também chamadas de placas de mordida ou “splint”. 

Este aparelho é feito sob medida para a boca do paciente e ajuda no relaxamento da musculatura, evitando que o paciente cerre os dentes e tensione a articulação mandibular. 

A placa se encaixa nos dentes superiores e ao deslizar sobre os dentes inferiores impede o ranger de uma arcada dentária contra a outra. 

Fisioterapia

A fisioterapia orofacial pode ser bastante benéfica para pacientes portadores da disfunção temporomandibular.

Os exercícios corretos e o acompanhamento de um profissional da área podem ajudar a reduzir dores e inflamação no local, aumentando a qualidade de vida do paciente.

Os objetivos envolvem tanto o restabelecimento de funções perdidas quanto a mudança de comportamento e reeducação, como por exemplo, para reduzir alterações de movimento.

Para se ter uma ideia, até mesmo posições e posturas corporais podem influenciar na posição mandibular. A contração dos músculos cervicais é um exemplo que pode afetar a oclusão e os músculos da mastigação e, consequentemente, a ATM.

Cirurgia

A cirurgia na ATM pode ser indicada quando outras opções de tratamentos não surtiram efeito. Ela pode ser uma opção para cessar processos inflamatórios, retardar a degeneração da articulação, fixar próteses nos ossos, dentre outras causas.

Geralmente, pode ser feita a partir de duas técnicas principais:

  • Cirurgia aberta: considerada mais invasiva, é a maneira mais tradicional, feita por meio de uma incisão próximo à orelha.
  • Artroscopia de ATM: é uma técnica mais moderna e menos invasiva, feita com o auxílio de um artroscópio, um equipamento com uma câmera acoplada na ponta.

Se você possui dores na mandíbula e se identificou com os sintomas descritos é hora de procurar um profissional de confiança para te orientar.

O Instituto Maxilo Facial é referência em cirurgia no rosto no estado de São Paulo e possui uma equipe de especialistas em procedimentos para a correção de deformidades dento-faciais.

Nosso objetivo é devolver a autoestima e o bem-estar para os nossos pacientes por meio dos melhores tratamentos. Para isso, contamos com uma estrutura e alta tecnologia, priorizando um atendimento diferenciado e humanizado.

Agende agora uma consulta no Instituto Maxilo Facial e obtenha o melhor tratamento para a sua dor!

Conclusão

A dor na articulação temporomandibular (ATM) resulta de diversos fatores, como hábitos inadequados, estresse, e problemas estruturais. 

O problema afeta uma ampla parte da população, a disfunção temporomandibular (DTM) pode causar sintomas debilitantes, incluindo dor facial, dor de cabeça e dificuldades para mastigar. 

O diagnóstico envolve exames clínicos e de imagem, enquanto o tratamento pode incluir medicação, fisioterapia, uso de dispositivos como placas oclusais e, em casos graves, cirurgia. 

Estratégias complementares, como exercícios físicos e técnicas de relaxamento, também são eficazes na gestão da dor. 

Para um manejo adequado, é essencial a avaliação de um especialista e, em alguns casos, uma abordagem multidisciplinar.

Leia também: Descobrindo a Disfunção na ATM (DTM)

Instituto Maxilo Facial

Instituto Maxilo Facial, fundado pela Dra Ana Carolina e Dr. Rodrigo Fromer, prioriza o atendimento diferenciado e humanizado de seus pacientes.

Últimas Notícias

Saiba as últimas novidades do Instituto Maxilo Facial.